Preencha os dados abaixo

Entre em contato através dos dados abaixo ou pelo botão do whatsapp

UROLASER Centro Urológico de Rondonópolis
(66) 99653-5607 / (66) 3426-8651 - contato@fernandoborgesribeiro.com.br
Rua José Salmen 603 - Vila Birigui, Rondonópolis - MT


Nosso contato:
66 99653-5607 / 66 3426-8651
Nossas melhores soluções para você manter sua saúde em dia!

Videolaparoscopia

São cirurgias minimamente invasivas realizadas através de pequenos orifícios na parede abdominal, por onde são introduzidos pequenos instrumentos e uma câmera de vídeo, permitindo a realização de vários procedimentos urológicos. Permite a recuperação pós operatória mais rápida, com menos dor e menor tempo de internação,  bem como  melhores resultados cosméticos.​​

NEFRECTOMIA   VIDEOLAPAROSCÓPICA

Técnica Minimamente Invasiva usada para realizar a retirada (total ou parcial) do rim quando necessário.  Indicada principalmente para tratamento de tumores, mas também pode ser realizada em casos de atrofia e infecções renais.

A cirurgia é realizada com anestesia geral, através de 3 a 5 pequenos orifícios (5 a 10mm cada) na região lateral do abdome , e com uso de instrumentais delicados o rim é dissecado e deixado livre dentro da cavidade abdominal. Depois  a peça cirúrgica é retirada por uma pequena incisão no baixo ventre, que é bem menos dolorosa do que a incisão convencional no flanco e tem melhor efeito cosmético. A recuperação é rápida e o paciente pode receber alta do hospital entre 1 e 3 dias após a cirurgia.

Em casos de tumores renais menores de 4cm com anatomia favorável pode-se realizar a NEFRECTOMIA PARCIAL, retirando apenas o tumor com margem de segurança, preservando a função renal. Para tumores maiores ou de anatomia desfavorável, deve-se realizar a NEFRECTOMIA RADICAL  (retirada total do rim  com toda sua capa de gordura,  gânglios ao redor de suas veias e, em alguns casos a glândula supra renal.

PROSTATECTOMIA    VIDEOLAPAROSCÓPICA

Técnica Minimamente Invasiva usada para realizar a retirada (total ou parcial) da próstata quando necessário.  Indicada principalmente para tratamento de tumores malignos (câncer de próstata), mas também pode ser realizada em casos de doenças benignas (hiperplasia benigna).

É realizada sob anestesia geral, e através de 4 a 5 orifícios (5 a 10mm cada) na parte inferior do abdome  a próstata é dissecada e deixada livre dentro da cavidade abdominal, sendo retirada através de uma das incisões. Ao final da cirurgia é colocado uma sonda na bexiga que auxilia na cicatrização dos pontos internos, permanecendo de 5 a 15 dias, dependendo da cirurgia realizada. A recuperação é rápida e o paciente pode receber alta do hospital entre 2 e 5 dias após a cirurgia.

Em casos de câncer localizado na próstata a cirurgia recomendada chama-se PROSTATECTOMIA RADICAL, que consiste na retirada em bloco de toda a próstata, das vesículas seminais e dos gânglios ao seu redor. Em alguns casos selecionados, deve-se realizar a preservação dos nervos e vasos da potência sexual, que se localizam aderidos à glândula, minimizando a disfunção erétil pós operatória.  Já em casos de crescimento benigno da próstata, com glândulas volumosas (maiores de 80g), a cirurgia é chamada de PROSTATECTOMIA SIMPLES, pois retira-se apenas a sua parte interna, preservando-se a cápsula prostática, resolvendo a obtrução do fluxo urinário.

PIELOPLASTIA    VIDEOLAPAROSCÓPICA

Técnica Mimamente Invasiva usada para corrigir alterações da via excretora urinária . A Junção Uretero PIélica (JUP), conhecida como canal de saída dos rins, frequentemente é acometida de alterações que causam estreitamento (estenose) deste canal, podendo ser alterações congênitas ou adquiridas. 

Muitas vezes este estreitamento pode trazer complicações como dilatação do rim, dores, infecções, formação de cálculos renais  até mesmo perda da função renal. Nestes casos, é necessário realizar uma correção cirúrgica desta alteração, e a cirurgia videolaparoscópica é considerada a técnica que traz melhores resultados.

A cirurgia (pieloplastia) consiste na correção do defeito através da retirada da parte estreitada e realização de uma moldagem (plastia) com o tecido redundante (pieloplastia desmembrada de Anderson – Hynes). Utiliza-se de 3 a 5 orifícios pequenos na região do rim, e implanta-se um catéter interno (duplo J) para moldar a cicatrização do novo canal e evitar complicações. Este catéter é retirado pela uretra após 4 a 6 semanas da cirurgia.

Top
× Como posso te ajudar?